Cidade de Aveiro

Existem evidências que atestam a existência desta região ao período Neolítico, comprovado pela existência de Mamoas e Dólmens aqui existentes. As atividades mais antigas e conhecidas de Aveiro, assentam na produção de Sal e no comércio naval, não fosse esta uma região de tradição marítima, contudo, a primeira referencia à cidade de Aveiro aparece apenas em 959 DC, numa referência do Testamento da Condessa Mumadona Dias.

A muralha de Aveiro, agora inexistente como tal, foi edificada nos inícios do século XV, situação esta que atesta certamente um crescimento e mais valia que esta região alcançara junto do reino. Com o seu crescimento, instalaram-se em Aveiro diversas instituições religiosas e assistenciais que deram progressos e dinamismo a este território, ultrapassando muitos e diversos momentos difíceis.

Algumas das datas mais importantes de Aveiro são:

  • Século XIII – Aveiro foi elevada à categoria de vila, desenvolvendo-se a povoação à volta da igreja principal consagrada a S. Miguel (vindo esse templo a ser demolido em 1835);
  • Inícios do século XV – Edificação de muralhas em torno do núcleo urbano;
  • Em 1434, D. Duarte concedeu à vila privilégio de realizar uma feira franca anual que chegou aos nossos dias e é conhecida por Feira de março;
  • Em 1472 – Infanta D. Joana (filha de Afonso V), entrou no Convento de Jesus (atual Museu de Aveiro), falecendo em 12 de maio de 1490, efeméride recordada atualmente, no feriado municipal;
  • Em 1759 – D. José I elevou Aveiro a cidade, poucos meses depois de ter condenado, ao cadafalso, o seu último duque, título criado, em 1547, por D. João III;
  • Séculos XVII e XVIII – Assoreamento da barra;
  • 1759 – Elevação de Aveiro a Cidade;
  • 1808 – Abertura oficial da Barra;
  • Século XIX – demolição gradual das muralhas, sendo parte das pedras utilizada na construção dos molhes da barra nova;
  • No século XIX, destaca-se a ativa participação de aveirenses nas Lutas Liberais.

Centro Cultural e de Congressos de Aveiro

O Centro Cultural e de Congressos de Aveiro é parte de um edifício emblemático da arquitectura industrial Aveirense, sendo um espaço profundamente ligado à cidade, que acentua o carácter, junto com outras marcas da indústria da cerâmica na região. A sua localização, central, faz dele um edifício referência e um marco para quem visita Aveiro. A modernidade das funções inserida na beleza e tradição da antiga Fábrica Jeronymo Pereira Campos, fundada em 1896, fazem deste edifício um local óptimo para a realização de todo o tipo de eventos.

Fonte: Serviços de Turismo do Município de Aveiro