Categories
Conceito Itinerante Identidades: Âncoras de Passagem

Jornal “A Semana”: Artes plásticas no Convento de São Francisco

Obras de Manuel Figueira, José Maria Barreto, Alex da Silva, Nelson Lobo e Tchalé Figueira vão estar expostas a partir de 11 de Abril, numa mostra colectiva no Convento de São Francisco, Cidade Velha, concelho de Ribeira Grande de Santiago. É a exposição “Identidades: Âncoras de Passagem”, que acontece sob a curadoria de Marzia Bruno, italiana que realiza em Cabo Verde parte do seu projecto de investigação sobre a internacionalização da arte.

“Identidades: Âncoras de Passagem” estreou em Aveiro com artistas plásticos da região centro de Portugal. Está agora em Cabo Verde, onde junta artistas cabo-verdianos de diferentes gerações e estilos. Pintores que Marzia Bruno, investigadora no Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade no âmbito de um doutoramento em História da Arte Portuguesa (Universidade do Porto), descobriu em 2013, quando fez um levantamento da arte cabo-verdiana.

“Esta exposição colectiva pretende mostrar uma faceta da ´pura` pintura contemporânea cabo-verdiana. Os critérios fugiram do âmbito comercial ou artesanal e a quantidade de artistas não foi um alvo a alcançar mas sim, a qualidade artística, plástica e cromática das obras”, afirma a italiana. São sete pinturas, um conjunto de desenhos e um vídeo. A escolha do Convento de São Francisco não foi por acaso.

“As características do espaço numa exposição itinerante fazem com que o rumo da obra se torne peculiar, já que o espaço pode ser interventivo, através da incorporação do lugar na obra ou da interpenetração da obra no lugar”, contextualiza Marzia Bruno. E neste caso, “o valor preventivo da obra e o conjunto patrimonial do edificado são elementos predominantes”.

É uma exposição que serve de ponto de partida para um evento maior que celebra o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, no dia 18 de Abril. Marzia Bruno conduz entre os dias 14 e 25 uma série de visitas guiadas e actividades educativas destinadas a diferentes públicos. Entretanto, no dia 22, no auditório da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, acontece a conferência “Arte Contemporânea e o Património Artístico: Identidade e Património – Preservar, Divulgar e Inovar”.

A iniciativa conta com o apoio da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, da CEPESE e da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT, Portugal). Já o “necessário e indispensável trabalho logístico” é fruto de uma parceria entre o Ministério da Cultura, através da Direção Nacional das Artes e da Curadoria da Cidade Velha, e a Câmara Municipal da Ribeira Grande. O mecenato fica por conta da IMPAR Seguros.

Fonte: Jornal A Semana (Cabo Verde)

By Conceito Itinerante

Uma exposição itinerante que objectiva: a interação da arte em espaços não através de uma itinerância material da arte mas através da itinerância de um conceito expositivo, criando uma identidade conceptual que tenha o condão de metamorfosear-se na diversidade da linguagem artística. Introduz-se uma componente singular, uma nova abordagem ao conceito do curador face à itinerância, fazendo viajar não as obras mas uma ideia que se adapta aos espaços, histórias e cidadãos, tendo em conta a conservação da integridade da arte, rentabilizando recursos, difusão, partilha e comunicação através da translação de um conceito.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.