Categories
Conceito Itinerante Identidades: Variáveis Convergentes

RTP transmite reportagem sobre a exposição “Identidades: Variáveis Convergentes”

A reportagem pode ser vista aqui, no sítio web da RTP.

Visão Geral da Exposição

Este projecto discute a fruição estética, a sustentabilidade da partilha artística e o contributo para a gestão e prevenção da riqueza cultural e patrimonial em três locais — um espaço de comércio e de consumo (Olá Ria, Aveiro); o património, a história mista e a tradição (Convento de São Francisco, Cidade Velha, Cabo Verde); e o espaço museológico, imaculado e sagrado (Casa-Museu Abel Salazar, São Mamede de Infesta). O trabalho, até agora desenvolvido, pretende reunir experiências e analisá-las nas suas variegadas divergências e aproximações.

Para obter mais informações, visite o:

Categories
Conceito Itinerante Identidades: Variáveis Convergentes

O Conceito Itinerante lança o vídeo de apresentação da exposição “Identidades: Variáveis Convergentes”

Visão Geral da Exposição

Este projecto discute a fruição estética, a sustentabilidade da partilha artística e o contributo para a gestão e prevenção da riqueza cultural e patrimonial em três locais — um espaço de comércio e de consumo (Olá Ria, Aveiro); o património, a história mista e a tradição (Convento de São Francisco, Cidade Velha, Cabo Verde); e o espaço museológico, imaculado e sagrado (Casa-Museu Abel Salazar, São Mamede de Infesta). O trabalho, até agora desenvolvido, pretende reunir experiências e analisá-las nas suas variegadas divergências e aproximações.

Para obter mais informações, visite o:

Categories
Conceito Itinerante

Identidades: Variáveis Convergentes – Atividades Educativas

Categories
Blog Conceito Itinerante

Identidades: Variáveis Convergentes – Atividades Educativas

Categories
Blog Conceito Itinerante

Identidades: Variáveis Convergentes – Atividades Educativas

Categories
Blog Conceito Itinerante

Apresentação do cartaz da exposição “Identidades: Variáveis Convergentes”

Finalmente, é com prazer que apresentamos o cartaz da nossa exposição!

Categories
Conceito Itinerante Identidades: Âncoras de Passagem

Exposição na Cidade Velha faz parte do vídeo promocional da Direcção Geral do Turismo de Cabo Verde

Categories
Conceito Itinerante Identidades: Âncoras de Passagem

Jornal “A Semana”: Artes plásticas no Convento de São Francisco

Obras de Manuel Figueira, José Maria Barreto, Alex da Silva, Nelson Lobo e Tchalé Figueira vão estar expostas a partir de 11 de Abril, numa mostra colectiva no Convento de São Francisco, Cidade Velha, concelho de Ribeira Grande de Santiago. É a exposição “Identidades: Âncoras de Passagem”, que acontece sob a curadoria de Marzia Bruno, italiana que realiza em Cabo Verde parte do seu projecto de investigação sobre a internacionalização da arte.

“Identidades: Âncoras de Passagem” estreou em Aveiro com artistas plásticos da região centro de Portugal. Está agora em Cabo Verde, onde junta artistas cabo-verdianos de diferentes gerações e estilos. Pintores que Marzia Bruno, investigadora no Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade no âmbito de um doutoramento em História da Arte Portuguesa (Universidade do Porto), descobriu em 2013, quando fez um levantamento da arte cabo-verdiana.

“Esta exposição colectiva pretende mostrar uma faceta da ´pura` pintura contemporânea cabo-verdiana. Os critérios fugiram do âmbito comercial ou artesanal e a quantidade de artistas não foi um alvo a alcançar mas sim, a qualidade artística, plástica e cromática das obras”, afirma a italiana. São sete pinturas, um conjunto de desenhos e um vídeo. A escolha do Convento de São Francisco não foi por acaso.

“As características do espaço numa exposição itinerante fazem com que o rumo da obra se torne peculiar, já que o espaço pode ser interventivo, através da incorporação do lugar na obra ou da interpenetração da obra no lugar”, contextualiza Marzia Bruno. E neste caso, “o valor preventivo da obra e o conjunto patrimonial do edificado são elementos predominantes”.

É uma exposição que serve de ponto de partida para um evento maior que celebra o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, no dia 18 de Abril. Marzia Bruno conduz entre os dias 14 e 25 uma série de visitas guiadas e actividades educativas destinadas a diferentes públicos. Entretanto, no dia 22, no auditório da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, acontece a conferência “Arte Contemporânea e o Património Artístico: Identidade e Património – Preservar, Divulgar e Inovar”.

A iniciativa conta com o apoio da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, da CEPESE e da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT, Portugal). Já o “necessário e indispensável trabalho logístico” é fruto de uma parceria entre o Ministério da Cultura, através da Direção Nacional das Artes e da Curadoria da Cidade Velha, e a Câmara Municipal da Ribeira Grande. O mecenato fica por conta da IMPAR Seguros.

Fonte: Jornal A Semana (Cabo Verde)

Categories
Conceito Itinerante

Seja bem-vindo(a) ao projecto “Conceito Itinerante”!

A exposição temporária “Identidades: Circunstâncias Transversais” pretende explorar, na itinerância, a individualidade conceptual e artística de cada obra, integrar e interpretar as barreiras da arte contemporânea.

Ao longo do percurso, as obras são interligadas através de um discurso plástico-artístico, instaladas e integradas pelas circunstâncias, pensadas e expostas para aglutinar diversas vivências conceptuais e artísticas.

As obras, de raízes diversas, moldam-se e partilham o mesmo espaço, articula raciocínios de identidades transversais que se interligam. Com tudo e no seu todo, apreciar-se-á a singularidade de cada obra.

Pretende-se transmitir um olhar “espelhado”[1] de identidades contemporâneas, encontrar “reflexos”[2] do mundo artístico nacional e internacional. Espera-se, ainda que a “luz”[3] predominante nesta exposição possa ser uma inspiração ao conhecimento artístico, um “fio”[4] condutor da realidade e da paixão.

Se a “…terra é feita de céu”[5] e a arte é feita de SENTidos, evite “decapitar”[6] a emoção, apure a “Narrativa de Fuga”[7] de cada obra, atreva-se a descobrir a parte “Íntima”[8] e artística que nos une, deixe-se envolver nos “circuitos”[9] que a arte oferece.

  1. [1] Patricia Guerra “Combinações genéticas raras/<1,73 / >1,73″
  2. [2] Nelson Santos “Terra é feita de Céu”
  3. [3] Glória Mendes “O lugar dos teus seios”
  4. [4] Madalena Metelo “Íntima – Eu e Tu”
  5. [5] Nelson Santos “Terra é feita de Céu”
  6. [6] Glória Mendes “Os cestos de pequinique”
  7. [7] Alexandra Pinho “Narrativas de Fuga I/II”
  8. [8] Madalena Metelo “Íntima”
  9. [9] Alexandra Pinho “Circuitos”